Category Archives: Dicas p'ra profs

Partilha de dicas de trabalho.

9 – Comunidade

“Arranje um adulto da escola ou da comunidade interessado em cada estudante. Recrute contínuos, secretárias e outros membros do pessoal, se necessário. É importante que as crianças tenham um adulto a quem fazer perguntas sobre algo que os preocupe.”

Todos somos agentes de acção educativa. Todos colaboram na formação de carácter e às vezes poderá ser mais fácil para um aluno, que por esta ou aquela razão, tenha tido um problema e durante a fase de superação do mesmo, tenha tido empatia com algum dos membros que constituem a população escolar, que não seja necessariamente professor. A cozinheira é uma das melhores funcionárias para detectar problemas de fome. A aprendizagem é feita “uns com os outros” e assim se vai formando a personalidade. Ensinar os conteúdos programáticos de uma disciplina específica é o mais fácil de fazer.

Anúncios

8 – Disciplina e gestão

“Permita algum ruído construtivo na sala de aula. O barulho pode ajudar a acalmar os alunos irrequietos. O Dr. Harlem Hansen, da Universidade do Minnesota, afirma: “ O bom ruído significa aprendizagem. O Mau ruído significa que as crianças estão descontroladas. A ausência de ruído significa que os adultos não compreendem a natureza das crianças.”

Esta dica, no meu caso é prática corrente. É efectivamente verdade que se note sempre um ruído de fundo, ou uma questão ao colega do lado, um apontar e dizer que está errado, a agitação normal de querer participar e, ser próprio da idade não se ser estático. Quando o contrário acontece e os meus alunos fiquem quietinhos e caladinhos que nem gelo, provavelmente preguei-lhes um grande susto com uma valente dose de rispidez.

7 – Os Alunos

“Seja pateta, de vez em quando. Os seus alunos precisam de saber que também é humano.”

Faço questão, de vez em quando, de proporcionar momentos de amena cavaqueira, para quebrar o gelo, falar sobre trivialidades, revelando e descobrindo outras facetas que não aquelas específicas da disciplina em questão.

6 – Sala de aula

“Crie um espaço de libertação de energia na sala de aula, onde os alunos mais energéticos possam rabiscar, dar murros num saco de areia ou fazer seja o que for para libertarem de forma construtiva a fúria ou as emoções.”

… nem sei o que diga, talvez uma pista de dança. Música. Agora mais a sério, talvez esta dica seja possível apenas no 1ºCEB e com a subida de violência nestes últimos tempos, eu diria que decididamente é necessário quem vigie este espaço de “extravasar”. Sendo realista, os pais têm a obrigação legal de dar educação aos filhos.

5 – Motivação

“Organize o seu dia – todos os dias! A aprendizagem não deveria ser deixada ao acaso.”

Durante a semana não tenho muito tempo para a preparação diária das aulas, por conseguinte grande parte do meu fim-de-semana é ocupado a trabalhar preparando a semana após a semana que se inicia. Mal de mim, se não preparasse as aulas com, pelo menos duas semanas de antecedência. Turmas, níveis e ritmos diferentes, numa escola de nível, levam a que as aulas sejam adaptadas individualmente, chegando mesmo a “caso-a-caso”, tendo em conta os diferentes planos de apoio, adaptações e adequações curriculares de cada um dos alunos, consoante a o que está pré-definido e o que se vai encontrando pelo caminho. Nada é deixado ao acaso. Após o dia de aulas, as respectivas e imediatas correcções/adaptações para a próxima aula, são feitas “em cima do joelho” no Expresso de regresso a casa.

4 – Comunidade

“Não seja demasiado orgulhoso para pedinchar material gratuito. As fontes de aprendizagem nunca são demais e o orçamento da sua sala de aula nunca será suficientemente elevado.”

Aqui está algo que eu ainda não consigo fazer, lá vou dizendo que a quem compete tratar dos orçamentos que o faça. Não gosto mesmo nada de pedinchar dinheiro aos pais, sei que alguns não têm.  Pedinchar à Junta de Freguesia já é mais fácil! A autarquia já dispõe de verba para as AECs, que eles gerem a seu bel-prazer e agora os “novos” directores e escolas com contratos de autonomia, vêm libertar os professores deste fardo de pedir.

Falta o alvo mais fácil, aqueles a quem compramos os manuais escolares. Como passaram a ser adoptados por um maior período de tempo, as editores vão querer negociar a coisa. Com os quadros interactivos, passa a haver muito mais material disponível nas “negociações”. Neste caso, já não será pedinchar mas sim negociar, peçam ajuda aos colegas mais experientes.

3 – Disciplina e gestão

“Estruture o espaço da sala de aula de modo a poder movimentar-se e aproximar-se de todos os alunos. Tente uma disposição em forma de U. Ande por toda a sala.”

No primeiro ano que leccionei 1ºCEB, não consegui recorrer a esta disposição, os alunos brincavam demasiado com o colega do lado. No secundário resultou em cheio, também evitava de lhes virar as costas. Resultou ainda a disposição circular, na qual me encontrava sentado ao nível dos alunos. Proporcionava um ambiente muito descontraído.

Hoje, no 2ºCEB, falha tudo! O excesso de claridade que dificulta a visibilidade para o quadro, ou a falta dela; a sobrelotação; falta de respeito, de regras e de cumprimento de horário sobrepõe-se a tudo o resto. Actualmente alteraria a DICA para: “Estruture o espaço da sala de aula” como for possível… veja lá o que é que se pode arranjar.