Category Archives: 7ª Arte

Sugestões de cinema

Good bye Lenin!

“A talho de foice” aceitei a sugestão de José Milhazes e assisti ao filme “Good bye Lenin!”.

Dizia ele que russos e portugueses assistem ao mesmo filme e riem-se de coisas diferentes. Tenho que cravar um vizinho russo para ver o filme comigo!

Lembrei-me bastante das histórias que o meu pai ia contando de como eram as coisas “lá na outra Alemanha”.

Low budget stuntman

A brincar, a brincar, lá se vai falando de coisas sérias… Tal como num bom livro, quem quiser ler nas entrelinhas, aproveite a oportunidade.

Horizonte Profundo – Desastre no Golfo

87 dias! A erupção durou oitenta e sete dias! O pior desastre petrolífero na história do Estado Unidos.

Trump plans to relax Obama rules for oil companies put in place after BP disaster

Deepwater Horizon

Hereafter – Outra vida

Uma excelente abordagem cinematográfica a um assunto… delicado:

The Homesman – Uma dívida de honra

Magnífico! Simplesmente magnífico. “Simplesmente” pela simplicidade, pelo extraordinário retrato que faz de assuntos delicados, de pontos de vista que apenas estamos habituados a ver nas entrelinhas da grande literatura. Ação no século XIX mas mensagem muito atual. Queiramos nós vê-la…

A rapariga no comboio

Um filme assustador sobre a realidade do sofrimento acoplado ao alcoolismo.

Invencível – Louie Zamperini

Jacinta – O filme

Como filme até nem achei nada de especial; como retrato cultural, histórico e etnográfico, foi muito bom, mas para mim, foi um momento de introspeção intenso, simples e levou-me às lágrimas. Lágrimas de Fé e de esperança em tão grandiosa simplicidade. Fé é acreditar sem ver.

The Railway Man

Só para duros. Para homens rijos com «eles» no sítio. Uma das capacidades mais difíceis na vida de um ser humano: perdoar e por conseguinte, viver em plenitude. Uma história que até custa a acreditar ser verídica.

… e aqui está ele, Eric Lomax.

 

Je m’appelle Bernadette

Um filme que vi sozinho e sem dogmas ou preconceitos. Assistir apenas ao filme. Aproveitar um momento de cinema. Mais uma história verídica.

… e ei-la aqui: Bernadette Soubirous.