A criança no tempo – Ian McEwan

Não vale a pena inventar o que já está inventado. Basta-me citar a contracapa pois a minha opinião é idêntica: «[…] tão engenhosamente concebido quanto lancinantemente realizado.» The New York Times Book Review; «[…] vai ao mais fundo da existência humana.» Chicago Tribune; «Um grande prazer de leitura […] McEwan escreve como se Dickens, Laurence e Woolf corressem no seu sangue […]» The Wall Street Journal.

A narrativa permite ver pelo coração do pai o que é perder uma menina de três aninhos (a menina desaparece num supermercado e desaparecer, não é sinónimo de morrer). Ele continua viver como se ela estivesse viva mas, esse facto só existe na sua cabeça. Assim começa o conflito na cabeça do homem entre recordar, desistir, alimentar memórias ou seguir em frente (como?). A narrativa é repleta de analepses e prolepses, não é linear, de construção complexa pois vai buscar momentos familiares aos seus ascendentes diretos, que acabam por construir melhor o personagem que estamos a seguir; outros momentos da vida profissional antes e depois, tal como na vida de casal, com os amigos e até mesmo na profissional, mas a forma como estão linguados simplifica a leitura. De forma muito simples: está tão bem escrito que parece que Ian McEwan viveu a experiência na primeira pessoa! A dada altura ele vê a filha numa escola do 1ºciclo (já nem sei se se pode dizer primária ou não!) e, sentado perante o diretor, quando o mesmo lhe conta o passado da aluna, o autor conta-nos na perfeição como é que o cérebro do personagem vai deixando de ver o rosto que queira ver, que estava a imaginar e passa a ver algo parecido com a realidade… É de mestre!

Anúncios

2 responses to “A criança no tempo – Ian McEwan

  1. Quem pensa igual, não pensa!

  2. Limita-se a copiar a ideia dos outros. Até parece o facebook… Mas, se calhar pode ser necessário eu explicar melhor o que pretendo com “a minha opinião é idêntica”, isto significa que concordo, após a leitura do livro, com as opiniões supra citadas. Caso esse que já não se verifica no parágrafo subsquente.
    Um grande abraço, obrigado pelo comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s