1984 – George Orwell

George-Orwell-1984“Se alguma esperança havia, tinha que residir nos proles, pois só deles, desse imenso e desprezado formigueiro,  85% da população da Oceânia, podia alguma vez brotar a força para destruir o Partido. O Partido não podia ser derrubado a partir de dentro. Não havia meio de os seus inimigos, se é que os tinha, se reunirem ou se identificarem sequer uns aos outros. Ainda que a lendária Fraternidade existisse, o que talvez fosse possível, impensável que os seus membros alguma vez conseguissem reunir-se em grupos de mais de dois ou três. A revolta resumia-se a um olhar mais directo, a uma inflexão da voz; quanto muito, a uma ou outra palavra murmurada. Mas os proles, se de algum modo chegassem à consciência da sua própria força, não precisariam conspirar. Bastava-lhes erguerem-se e sacudirem-se como um cavalo sacode as moscas. Se quisessem, podiam reduzir o Partido a coisa nenhuma já amanhã. Com certeza, tarde ou cedo, lembrar-se-iam do o fazer…

E daí…”

1984 de George Orwell, página 79

 

2 responses to “1984 – George Orwell

  1. sempre uma referência

  2. E eu ainda não tinha lido tamanho testemunho…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s