uma eloquente demonstração

BLASFÉMIAS

2011-11-24t191705z-01-rfm07-rtrmdnp-3-portugalNas últimas décadas, o estado português, arvorado em estado social, gastou dinheiro a rodos oferecendo tudo a todos, transformando todos os bens e serviços utilizados pelos seus cidadãos em serviços e bens públicos, logo, pela letra e espírito da sua Constituição, universais e gratuitos. Com isso, criou escolas, universidades, politécnicos e cursos desnecessários, duplicou pontes e estradas que quase ninguém usa, criou gabinetes ministeriais de proteção ao mexilhão da Costa da Caparica e ao javali alentejano, subsidiou artistas e cançonetistas, gastou milhões em rendimentos mínimos sem controlo nem tutela, prestou generosa assistência a bancos arruinados, a televisões comerciais sem audiência, a empresas transportadoras cronicamente deficitárias e tecnicamente falidas, patrocinou campeonatos europeus de futebol, realizou obras vultuosas em aeroportos que se preparava para demolir e substituir por outros, enfiou milhões em escritórios de advogados, arquitectos e técnicos para pareceres e projectos, e contratou e pagou a uma enorme burocracia, que praticamente…

View original post mais 111 palavras

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s